paleotoca...já encarei!

http://noticias.band.uol.com.br/bandcidade/rs/video/2015/12/22/15716463/porto-alegre-tem-paleotocas.html

Já entrei numa dessas tocas. Em 2010, tive a oportunidade de ir com a equipe do projeto Paleotocas, da UFRGS, até um barranco na BR 116, em Novo Hamburgo. Entrei, cara, coragem e uma filmadora. Ambiente estreito, o som de toda uma rodovia retumbando nos ouvidos. Inesquecíveis vinte metros de túnel, com gigantescas marcas de unhas de tatus pré-históricos nas paredes. Na verdade, entrei em duas tocas. Uma, maior, tinha uma subcâmara, onde possivelmente eram abrigados os filhotes dos tatuzões. A sensação claustrofóbica é única. Fui sem equipamento de respiração, apenas coragem, calma e uma lanterna, além da filmadora do pessoal das faculdades que nos acompanhava.

Imagino o tempo em que os gigantes viviam por aqui...topar com tatus do tamanho compatível com as supertocas devia ser uma experiência única. Por muito tempo, essas paleotocas eram chamadas de "caverna do índio", decerto por terem sido também usadas pelos povos daqui como abrigo, milênios após os tatuzões serem extintos. De qualquer maneira, grande experiência!!!

imagine o tamanho do dono das unhas que fizeram essas marcas...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

biomembranas

morfologia e histologia do Rim