histologia da próstata masculina

A próstata é a maior glândula sexual acessória no homem, presente na mulher na forma das glândulas para-uretrais, de menor porte. Ela produz e armazena o líquido prostático, que é expelido na ejaculação, seja do homem ou da mulher. No presente trabalho, nos deteremos na próstata masculina. Sobre a próstata feminina, tão negligenciada por autores na Anatomia, Histologia e Fisiologia, eu recomendo a excelente revisão Female prostate: a review about the biological repercussions of this gland  in humans and rodents  publicada em Anim. Reprod., v.3, n.1, p.3-18, Jan./Mar. 2006, por Fernanda C.A. Santos e Sebastião Roberto Taboga. O link para baixar e lerhttp://www.cbra.org.br/pages/publicacoes/animalreproduction/issues/download/v3n1/AR102%20Santos%20pag3-18.pdf
 

A próstata masculina consiste em 30 a 50 glândulas tubuloalveolares que envolvem a uretra proximal. Devido a essa relação, a hiperplasia prostática benigna, uma condição comum na idade avançada, pode resultar em obstrução parcial ou total da uretra.

As glândulas prostáticas estão dispostas em três camadas concêntricas: uma camada mucosa (zona interna), uma camada submucosa (zona intermediária) e uma camada periférica contendo as glândulas principais prostáticas. As glândulas mucosas secretam diretamente na uretra; isso é importante, pois cria um "biofilme", permitindo a passagem do sêmen em um ambiente com o pH adequado, sem contatos com eventuais resíduos de urina. Os outros dois conjuntos de glândulas secretam seu conteúdo por meio de ductos que se abrem para os seios prostáticos na parede posterior da uretra. Todas as glândulas apresentam epitélio pseudoestratificado cilíndrico, que secreta vários componentes do sêmen, incluindo fosfatase ácida, ácido cítrico e fibrinolisina (que mantém o sêmen liquefeito). 

Agregados de células epiteliais mortas e produtos de secreção precipitados formam cálculos ou corpos amiláceos nos alvéolos das glândulas; este é um aspecto característico que ajuda no reconhecimento da próstata. Seu significado, no entanto, é conhecido. Contudo, é atribuída sua gênese a processos inflamatórios agudos.

Conforme Stefanos e colaboradores (2008) (disponível em http://www.pnas.org/content/106/9/3443.full), os chamados cálculos prostáticos são compostos predominantemente por hidroxiapatita. A análise proteômica sugere, para os autores, uma associação com processos inflamatórios. As proteínas mais prevalentes (em 100% dos pacientes avaliados) foram identificadas como lactoferrina, mieloperoxidase, S100 e proteínas de ligação ao cálcio A8 e A9. Todas as três proteínas, além de outras também identificadas pela análise, incluindo a alfa-defensinas, β2-microglobulina, azurocidina 1, catepsina G, lisozima C, e elastase, entre outras, são proteínas contidas nos grânulos de neutrófilos. As proteínas restantes identificados incluem componentes de fluido prostático humano, tais como o PSA e a fosfatase ácida prostática (PAP), bem como proteínas envolvidas na imunidade adicionais (Ig cadeias pesadas e leves, RNases, e os componentes do sistema complementar).
 

Envolvendo a próstata, existe uma cápsula fibroelástica rica em músculo liso, que envia septos que entram na glândula, formando o estroma prostático. O estroma é caracterizado por inúmeros feixes pequenos de músculo liso, podendo ser descrito como estroma fibromuscular. Na ejaculação ocorre a contração dos músculos, forçando a secreção em direção à uretra. A glândula é envolvida por uma cápsula fibroelástica que também contém feixes pequenos de músculo liso.


Resumindo: a zona mais interna apresenta um epitélio pseudo-estratificado e é formada pelas glândulas mucosas

Na zona intermediária (ou de transição) encontram-se as glândulas da submucosa, onde frequentemente ocorre a maioria dos processos de hiperplasia benigna, causando dificuldades na micção. 

A zona periférica é a mais volumosa e é formada pelas glândulas principais, apresentando um epitélio mais regular. Esta zona, no entanto, destaca-se por ser o maior local de origem dos tumores malignos (câncer) de próstata. A testosterona influencia também nas secreções da próstata. A falta desse hormônio causa a regressão da glândula, razão pelo qual muitas vezes a estratégia de combate a tumores prostáticos invasivos inclua a orquitomia.

 
representação esquemática das regiões da próstata. Adaptado, original publicado em http://1hm12011.blogspot.com.br/2011/05/aparato-reproductor-masculino.html
  
próstata, HE. Note os alvéolos prostáticos (epitélio secretor) e o estroma (tecido muscular liso e elementos de tecido conjuntivo)

Zona central da próstata; observe a uretra prostática e ductos prostáticos, oriundos das glândulas principais e intermediárias.

Epitélio secretor prostático. Devido à natureza de sua secreção, o citoplasma tem aspecto claro, repleto de vesículas. A próstata secreta citrato, fosfatase ácida e o PSA, de função proteolítica. O líquido prostático é rico também em zinco, essencial à estabilidade da cromatina densa dos espermatozoides, IgA e poliaminas bacteriostáticas.

um cálculo prostático ou corpo amiláceo, frequente em homens mais velhos.



Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

morfologia e histologia do Rim

biomembranas