Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2018

assumindo o Pecado

Pequei contra o Céu e Terra. Sim, assumo. Diante do livro de Levítico, eu confesso o hediondo pecado de ter transgredido o que está ali, em Levítico, em pleno Pentateuco. E pequei com gosto. Com sofreguidão. Deliciei-me praticando o pecado, tão comum a clérigos e clérigas, ao laicato, pois já os vi transgredindo, inclusive com direito a fotografias amplamente publicadas na internet, até em postura de orgulho ao pecar, o rosto estampando a alegria da transgressão ao texto bíblico, a sofreguidão na face...Ali, em Levítico 11:7. Só os fortes entenderão..

De Nichelle a Whoopi, passando pelo Dr. Martin Luther King Jr

Nichelle Nichols. O nome faz qualquer nerd trekker bater palminhas e sorrir, pensando naquela mulher negra classuda, com dois diplomas superiores, oficial de Comunicações da USS Enterprise. A tenente Nyota Uhura, oficial da nave, ajudou a fantástica série a romper paradigmas e minar preconceitos. A série durou três temporadas, gerando uma legião de adoradores até hoje apaixonados pelas aventuras da tripulação da USS Enterprise. O programa nunca reproduziu estereótipos negativos, com forte caráter multicultural,  problematizando e extrapolando até o universo os conflitos sociais, religiosos, políticos e raciais. Devido a essa característica peculiar e questionadora, a série se transformou em uma das maiores e mais importantes franquias da história. A convite de Gene Roddenberry, produtor do lendário seriado, a cantora, de linda voz jazzística, pupila de ninguém menos que Duke Ellington, e atriz Nichelle Nicholls, trocou a Broadway pelo papel da tenente Uhura. O nome da personagem vem …

sobre os últimos dias

É triste ver descaso pela educação e por quem educa. É triste ver docentes aos prantos, o olhar perdido, contido na face que busca tentar entender o que não se consegue.
É hediondo o descaso. Descaso por missão, por educação, por vidas. Por quem tem a missão de preparar as pessoas para a vida. Por quem chega ao local para aprender e vê a pessoa, reverenciada em outros países, ser tratada com descaso.
Não ver o dinheiro na conta, e todas suas consequências, é apenas o reflexo de outras ações. Reflete o jeito de ver o ensino como mercadoria, como um produto a ser embalado, tipo peixe e pão.
Paralisar ou não...aí é foro íntimo, decisão individual, o que é importante é não espetacularizar a coisa toda, é respeitar a dor de quem não sabe o que dizer a um filho ou filha a essa altura do mês... escolher a conta a pagar no que resta de mês para espichar o pouco dinheiro que resta, trocar a lotação pelos pés, apelar para o amor familiar para ter uma refeição decente, chulear na conta bancária …

A distopia nossa de cada dia

Cada vez mais, me convenço que as distopias, tão comuns como recurso de enredo de filmes e histórias em quadrinhos, estão no nosso dia a dia. Nos gibis dos X-Men a distópica realidade de "Dias de um futuro esquecido" traz a caça a mutantes pelos sentinelas, com a morte de vários personagens como o prato do dia. Na série da DC Comics "Kingdom Come", temos o resultado da morte do Coringa pelo anti-herói Magog dentro da comunidade heroica, após o palhaço ter exterminado toda (eu disse toda) a redação do Planeta Diário, inclusive uma certa sra. Lane... Tem outra da DC, mais recente, o Flashpoint, onde Flash, ao salvar sua mãe da morte, resolve seu Édipo da maneira mais desastrosa possível, que levou desde a nunca existência pública do ocupante de uma certa nave kryptoniana, a morte do Wayne mais novo no Beco do Crime, a aliança entre atlanteanos e amazonas para detonar a Europa e por aí vai.
Bom, voltando a nossa realidade, se alguém cochilasse em 2010 e acordasse hoj…

Paul Singer, operário em construção....

E Deus chamou Paul Singer pra ajeitar as coisas lá do lado de lá... E você vai perguntar, quem é o sr. Singer na fila do pão? Vamos contar a história dele...
Grande economista, grande homem da academia, foi peça chave no governo Lula, enquanto mentor da ideia de redistribuição de renda, daí os programas de Bolsa Família e assemelhados, uma das grandes sacadas dos governos do PT, que, infelizmente, estão na lista de espécies em extinção...
O professor nasceu numa família de pequenos comerciantes judeus, estabelecidos em Erlaa, subúrbio operário de Viena. Em 1938, quando a Áustria foi anexada à Alemanha, começou a nefanda perseguição aos judeus. A família, obviamente, decidiu emigrar antes que a coisa tomasse o rumo crítico que teve, e, em 1940, radicou-se no Brasil. Aqui, já tinha alguns parentes, estabelecidos em São Paulo.
Em 1951, Singer formou-se em eletrotécnica no ensino médio da Escola Técnica Getúlio Vargas de São Paulo, exercendo a profissão como operário da área entre 1952…

alguém me avisou pra pisar esse chão devagarinho

Imagem
A terça feira, dia 17, amanheceu mais silenciosa no Salgueiro... Perdemos dona Ivone Lara, grande diva do samba, herdeira da tradição das grandes damas do samba, como tia Ciata,  uma compositora e tanto, profissional da área da saúde por anos, autora de vários sambas, desses que o pessoal se pega cantando meio sem querer, sem lembrar de quem é a autoria. "Sonho meu", "Sorriso negro", "Acreditar", "Alguém me avisou"...E foi cantando a dor da negritude, da opressão sobre o negro e a negra no Brasil, que dona Ivone chegou, pisando esse chão devagarinho. 
Aqui esboço uma pequena biografia da diva.  Nasceu no Rio de Janeiro, no dia 13/04/1921.  Seus pais, dona Emerentina, cantora de rancho, do Rancho Flor do Abacate e João da Silva Lara, mecânico de bicicletas, violonista e componente do Bloco dos Africanos. Aos seis anos de idade, ficou órfã de pai e mãe. Estudou no internato do Colégio Orsina da Fonseca, na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro, …

coisas....

Ontem, em meio ao correrio diário, me saltou aos olhos a postagem que uma querida amiga, de uma família amiga, colocou numa dessas redes sociais que todos sabem qual é mas por elegância não se fala o nome pra não dar Ibope pro gringo de plantão. Na postagem, a amiga destaca o ato inteligente da deputada estadual Manuela d'Ávila, ao empregar o texto de Mateus 6:16-18 para comentar o jejum midiático que o procurador Deltran Dallagnol anunciou em relação ao julgamento do habeas corpus do presidente Lula. Até aí tudo bem. A questão foi que a postagem inteligente foi feita num meio onde se presumia que as pessoas assim o fossem também, numa comunidade confessional da mesma igreja a qual a amiga (e toda sua família) está ligada. Bom...aí fechou a rosca...
Em meio a uma saraivada de discursos hidrofóbicos dextrófilos fundamentalistas, que fariam Bin Laden ser coroinha de congregação franciscana, alguns massacrando a língua mãe, cortando fora do campo a última flor do Lácio, veio o bombar…