Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

pra pensar...

Pessoal, reparto a carta do Colégio Episcopal da Igreja Metodista sobre a situação atual do país.  Leia e reflita...


Manifesto dos Bispos e Bispas MetodistasE o efeito da justiça será paz, e a operação da justiça, repouso e segurança para sempre
Isaías 32:17 As últimas votações de projetos importantes para a economia atual e para o futuro de todo o povo brasileiro são motivo de dúvidas e inquietações de toda parte. É tempo de superar as dubiedades e dicotomias partidárias a que nós nos submetemos vez ou outra para perceber que acima de posições de direita, esquerda ou centro, todas as pessoas igualmente sofrerão impactos, cujas proporções serão maiores sobre aquelas que menos se podem defender. Por isso, a Igreja Metodista se soma às demais vozes que já ecoam profetizando e denunciando os perigos da precipitação da tomada de decisões, sem levar em conta os clamores populares que de todos os lados clamam por cautela e transparência nos interesses que levam ao momento crucia…

cada um pega a arma que quiser!

Essa deu no Pragmatismo Político, mas poderia muito bem ser publicada na rede pelo Sensacionalista. Olha lá, http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/01/policial-confunde-arma-com-penis-de-homem-detido-e-video-viraliza-na-internet.html
Em um hotel nos EUA, a polícia foi dar aquela girica básica, tentando pegar um suspeito (a notícia não fala do que era o crime). O homem foi barrado na recepção do hotel. O policial caiu de mão no volume na calça do sujeito. 
Só tinha um detalhe: ele confundiu o volume na calça com o de uma arma de fogo. E pegou com vontade a mala do notificado. Sem graça, ao perceber que havia apertado diversas vezes (e com vontade) o órgão sexual do homem, o agente vira o rosto. 
Era tarde demais. A implacável câmara filmara a pegadinha (ops), mostrando que o policial estava vivenciando um momento que misturava vergonha e uma cara de impressionado ao mesmo tempo.
Único comentário que me cabe: Dr. Freud daria uma interpretação bem interessante ao ato falho do agen…

identidades...

"Digo que minha identidade musical está em constante movimento, aberta e observo, também, que ela me faz pertencer a diferentes grupos e me excluir de outros" (TORRES, M.C.A.R. Identidades musicais de alunas de Pedagogia: música, memória e mídia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, Tese de Doutorado. 2003, pág. 28)


Tive a grata oportunidade de ler o capítulo memorial da tese em Educação da querida professora dra. Maria Cecília Torres. Dele, extraí a citação acima. Faço dessas palavras parte de meu pensar, criando uma identidade cultural, artística, musical, a partir do movimento, do "todo cambia" que Mercedes Sosa nos traz de forma linda. Nos fazemos parte de grupos por vezes inesperados, nos fazemos exclusos de outros, também sem que seja esperado. Nos tornamos parte do tecido da vivência nossa de cada dia, a cada instante, hoje e sempre. Trazemos os cantos, vozes, instrumentos de nossa casa, …

Sophia Tibicuera

E Sophia me fala que gostou de ir à mesma igreja metodista que frequentei na minha adolescência e parte da fase adulta. Onde tive elementos que me fizeram gente, questionador, sem perder a ternura jamais, diria aquele médico argentino que curtia uma volta de moto na América Latina. E a fala de Sophia me calou fundo o coração, e me fez lembrar de Érico Veríssimo. Mais exatamente, me lembrou da obra "As Aventuras de Tibicuera". Do livro, trago um trecho para dividir com vocês:

"Escuta. O tempo passa, mas a gente finge que não vê. A velhice vem, mas a gente luta contra ela, como se ela fosse um guerreiro inimigo. Os homens envelhecem porque querem. Só muito tarde compreendi isso. Tibicuera pode vencer o tempo. Tibicuera pode iludir a morte. O remédio está aqui — tornou a bater na testa. — Está no espírito. Um espírito alegre e são vence o tempo, vence a morte. Tibicuera morre? Os filhos/as de Tibicuera continuam. O espírito continua: a coragem de Tibicuera, o nome de Tibicu…

Trump e a Legião do Mal....

Imagem
Galera, essa daí parece coisa encomendada. Deu no seriado "Legends of Tomorrow", da Warner. Curto muito, aliás. De acordo com o portal Comicbook (leia em http://comicbook.com/dc/2017/03/29/donald-trump-is-the-president-in-legends-of-tomorrows-doomworld/), e pra quem viu o seriado na última quinta, dia 13, Trump é o presidente no Universo DC sob o comando da Legião do Mal!!!
Como é??? Pois é, a coisa toda começa quando os vilões roubam a Lança de Longinus. Essa é a lança que Longinus, um legionário romano, usa para ferir Cristo na cruz. O tal legionário fez isso para comprovar o óbito Dele. O líquido saído do corpo de Jesus respingou nos olhos do soldado, curando-o instantaneamente de uma grave doença ocular. após isso, ele converteu-se e abandonou as legiões romanas, virou monge, foi martirizado e a Igreja Católica Romana o canonizou como São Longuinho, aquele dos pulinhos. Voltando, um grupo de vilões liderado pelo Flash ReversoEobard Thawne, um capitão da indústria e uma…

Intolerância

Briga de bugio. Ridículo. Repleto de intolerância o gesto da Marvel Comics ao encerrar o contrato com o desenhista indonésio Ardian Syaf. Pra quem não sabe, Syaf é o desenhista responsável pelo novo título dos X-Men nos EUA, X-Men:Gold. Alguns leitores identificaram nos últimos dias mensagens de cunho político na primeira edição do gibi. Bom, cabe dizer que o cara também não foi exatamente o ser mais tolerante do mundo, longe disso, bancou o talibã do gibi, senão vejamos o que segue. As tais mensagens apareceram numa camiseta vestida pelo personagem Colossus, o herói russo grandalhão de corpo de aço orgânico, que tem a inscrição "QS 5:51", e depois em uma fachada de loja, com o número 212. O primeiro se refere a um verso do Alcorão que pede que muçulmanos não tomem judeus e cristãos como aliados e que diz que "Alá não guia pessoas de má fé"
O verso tem sido repetido em protestos políticos na capital da Indonésia, Jacarta, contra o governo de Basuki Tjahaja Purnama,…

Ni una menos

Na Argentina, a cada 30 horas uma mulher é assassinada pelo simples fato de ser mulher (dados do site http://niunamenos.com.ar/). Assim, um coletivo de artistas, jornalistas e intelectuais, agregando vários setores da sociedade, lançou uma campanha e um movimento muito significativo e, a meu ver, importantíssimo. “Ni Una Menos” é o movimento surgido em 2015 em resposta a esse aumento da violência contra mulheres no país.
Pois, para nossa tristeza, pelo jeito os hermanos não entenderam o espírito da coisa. Micaela García, 21 anos, ativista no movimento Ni Una Menos, foi outra vítima da violência feminicida na Argentina.
Micaela vivia em Gualeguay, cidade a 230 km ao norte de Buenos Aires, onde estudava Educação Física. Ela foi vista com vida pela última vez ao se despedir de seus amigos na madrugada do dia 1º de abril, sábado, depois de uma festa. Uma semana depois, seu corpo nu, com sinais de estrangulamento, foi encontrado em um bosque nos arredores da cidade da província de Entre Río…

Gauchismo Líquido: como fazer o gaúcho

Gauchismo Líquido: como fazer o gaúcho: (inspirado no gaúcho do mastercheff:  veja aqui )             junte cerca de meia dúzia de ingredientes ufanistas selecionados ...