pra pensar...

Pessoal, reparto a carta do Colégio Episcopal da Igreja Metodista sobre a situação atual do país.  Leia e reflita...


Manifesto dos Bispos e Bispas Metodistas
 
E o efeito da justiça será paz, e a operação da justiça, repouso e segurança para sempre
Isaías 32:17
 
As últimas votações de projetos importantes para a economia atual e para o futuro de todo o povo brasileiro são motivo de dúvidas e inquietações de toda parte. É tempo de superar as dubiedades e dicotomias partidárias a que nós nos submetemos vez ou outra para perceber que acima de posições de direita, esquerda ou centro, todas as pessoas igualmente sofrerão impactos, cujas proporções serão maiores sobre aquelas que menos se podem defender. Por isso, a Igreja Metodista se soma às demais vozes que já ecoam profetizando e denunciando os perigos da precipitação da tomada de decisões, sem levar em conta os clamores populares que de todos os lados clamam por cautela e transparência nos interesses que levam ao momento crucial que experimentamos.
 
Este manifesto não é apenas para nosso povo, no seu âmbito denominacional, para todas as pessoas que ensejam tempos melhores para nosso país, como luz da graça e da justiça de Deus para todos os povos da terra, como herdeiros e herdeiras das promessas divinas feitas a Abraão, de que todas as nações podem e devem ser abençoadas. Isso significa paz, justiça, equidade e proteção para todos e todas.
 
É senso comum de várias vertentes de análises que o atual governo executivo, bem como o legislativo vêm tomando medidas que afetam negativamente os empobrecidos do nosso país. Essas medidas em nada melhorarão os Sistema de Saúde, a Educação ou o Sistema Previdenciário.  Ao serem postas em votação, todas essas medidas são corroboradas pelo Senado e pela Câmara de Deputados e Deputadas, por homens e mulheres cuja eleição aconteceu para que fizessem leis justas, visando garantir uma vida digna para o povo, que é o bem mais precioso da nação. Entretanto, os grupos econômicos e o capital estrangeiro têm tido primazia sobre os interesses da nação brasileira.
 
Quem falará pelo povo? Acreditamos que o próprio povo tem essa responsabilidade. Para isso deve se utilizar de todos os mecanismos de pressão política para exigir que Deputados/as Federais e Senadores/as e o próprio Governo parem de produzir leis e projetos de leis que tiram ou que diminuam direitos conquistados sob muita luta através de seus órgãos representativos como os Sindicatos, ou pelo próprio povo em movimentos de rua.
 
Um exemplo concreto da disparidade pode ser encontrado no imposto de renda. Há quanto tempo não se corrige de forma precisa a tabela? Segundo o informativo G1, “em 20 anos, a defasagem em relação à variação da correção da tabela do IR em relação à inflação somou 72,2%”. Isto é uma forma indireta de aumentar a cobrança de imposto. Mais gritantes, porém, são duas PECs:  A 241/2016 sobre o teto dos gastos públicos que prejudica a educação e a saúde (que já foi promulgada e seus efeitos serão sentidos nos próximos 20 anos), e a 287/2016 que trata da reforma da previdência. Essa se encontra em tramitação nas casas legislativas, já recebeu mais de 140 propostas de emendas para alteração do texto, demonstrando que ela viola o sagrado direito à aposentadoria com dignidade.
 
Os Bispos e as Bispas metodistas oram para que Deputados/as e Senadores/as sejam tocados/as por Deus, de modo que suas consciências sejam despertadas para que não aprovem leis que prejudiquem a maioria do nosso povo. Também orientamos os/as metodistas para que utilizem os meios legítimos para fazerem pressão sobre os/as Deputados/as e Senadores/as para que não aprovem medidas que firam ou diminuam os direitos do povo. Como povo de Deus precisamos agir conforme nossa fé e atuar para que sejamos ouvidos/as. Portanto, não nos calemos. Façamos ouvir a nossa voz.
 
 
Com fé e esperança,
 
 
 
Bispo Luiz Vergilio Batista da Rosa – Presidente do Colégio Episcopal
Bispo José Carlos Peres – Vice-Presidente do Colégio Episcopal
Bispa Marisa de Freitas Ferreira – Secretária do Colégio Episcopal
Bispo Paulo Rangel dos Santos Gonçalves
Bispo Roberto Alves de Souza
Bispo Adonias Pereira do Lago
Bispo João Carlos Lopes
Bispo Emanuel Adriano Siqueira da Silva
Bispa Hideíde Aparecida Gomes de Brito Torres
Bispo Fábio Gomes da Silva

Comentários

  1. Muito bom Normann, mas acredito que a hora da história é agora e esta hora é para fazermos algo mais que orar.
    As orações são um ato de fé dos povos e as votações que nossos políticos, eleitos por nós, um ato que determina parâmetros ao povo.
    A fé e a autoridade "deveriam ter valores" comuns entre si. A questão de valores moral, fundamental e legal deveriam estar nos preceitos de nossos eleitos.
    Valores ... nós eleitores deveríamos ter para avaliar nossos propostos candidatos.
    Que nossas orações sejam em prol de elucidar nossa mente e que nosso tempo seja agora, de fazer algo e não somente esperar que venha dos céus alguma solução.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

morfologia e histologia do Rim

biomembranas