Trenzinho Caipira

Trenzinho Caipira, de Heitor Villa-Lobos, violão e voz, este que vos bloga, percussão e voz, com o parceiro e amigo Tobias Mazzotti (também conhecido como baterista da banda Catuípe). A letra é do grande Ferreira Gullar, falecido ontem (04/12/2016), escrita em Poema Sujo:

Lá vai o trem com o menino
Lá vai a vida a rodar
Lá vai ciranda e destino
Cidade noite a girar
Lá vai o trem sem destino
Pro dia novo encontrar
Correndo vai pela terra, vai pela serra, vai pelo mar
Cantando pela serra do luar
Correndo entre as estrelas a voar
No ar, no ar, no ar...

Sem dúvida, o tema é dos que mais atrai instrumentistas e coralistas jovens. A composição, como toda a obra de Villa-Lobos, transita entre o erudito e o popular. Já ganhou interessantes interpretações pelas vozes de Edu Lobo e Adriana Partimpim/Calcanhotto. É parte das Bachianas Brasileiras n. 2, uma das famosas peças de Villa com explícita inspiração em Bach, com o tempero da brasilidade, como que descrevendo o mover de um trem pela serra do luar. O arranjo é coletivo, nesta gravação. Em tempo: atualizando a blogada, fica a nota triste pelo falecimento do grande Ferreira Gullar. Vai em paz, poeta!

Comentários



  1. Uma parte de mim é todo mundo

    Outra parte é ninguém, fundo sem fundo

    Uma parte de mim é multidão

    Outra parte estranheza e solidão

    Uma parte de mim pesa, pondera

    Outra parte delira

    Uma parte de mim almoça e janta

    Outra parte se espanta

    Uma parte de mim é permanente

    Outra parte se sabe de repente

    Uma parte de mim é só vertigem

    Outra parte linguagem

    Traduzir uma parte na outra parte

    Que é uma questão de vida e morte

    Será arte?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

biomembranas

morfologia e histologia do Rim