Jornada do Tempo

(Guto Normann e João Paulo Aço)

Levanta, tu, que choras
É tempo de darmos as mãos
É hora de colheita,
Lavrar, por os pés no chão

Abre essa porteira
Recebe no coração
Espraia o poder do espírito
Solta essa emoção

É a jornada do tempo
É a mudança das coisas
Levanta essa bandeira
Da poeira do rincão

É a jornada do tempo, 
É a mudança das coisas
Abraço, companheiro
Com afeto de irmão

Sob o teto dos céus
Vem dividir esse fardo
Deus semeou estrelas
Pra iluminar todo pago

Compartilha sementes
Pra fazer germinar
A cepa da amizade
Brilhando em cada olhar...



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

morfologia e histologia do Rim

biomembranas