dividindo Vladimir Maiakowski com vocês...


"Nos demais,
todo mundo sabe,
o coração tem moradia certa,
fica bem aqui no meio do peito,
mas comigo a anatomia ficou louca,
sou todo coração."

"Fiz ranger as folhas de jornal

abrindo-lhes as pálpebras piscantes.

E logo

de cada fronteira distante

subiu um cheiro de pólvora

perseguindo-me até em casa.

Nestes últimos vinte anos

nada de novo há

no rugir das tempestades.



Não estamos alegres,

é certo,

mas também por que razão

haveríamos de ficar tristes?

O mar da história

é agitado.

As ameaças

e as guerras

havemos de atravessá-las,

rompê-las ao meio,

cortando-as

como uma quilha corta

as ondas."

"DESPERTAR É PRECISO

Na primeira noite eles aproximam-se e colhem uma Flor do nosso jardim e não dizemos nada.
Na segunda noite, Já não se escondem; pisam as flores, matam o nosso cão, e não dizemos nada.
Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E porque não dissemos nada, Já não podemos dizer nada."








Comentários

  1. Pra quem não ligou o nome à pessoa, Maiakowski foi um dos maiores poetas e dramaturgos da Rússia no século XX (19/7/1893-14/4/1930). Renovou a poesia, fez sucesso como propagandista dos ideais bolcheviques em poemas e peças de teatro. Porta-voz do Partido Comunista, trabalha na Agência Telegráfica Russa como criador de cartazes, para os quais faz rimas e slogans, além de livrinhos didáticos com os princípios da Revolução para crianças. A partir de 1925 viaja por Europa, Estados Unidos, México e Cuba. Escreve roteiros para filmes e peças satíricas, como Klop (1929) e Banya (1930). Uma decepção amorosa e a crítica de escritores mais ortodoxos o levam ao suicídio, em Moscou.
    Nos anos 80, Caetano Veloso tornou-se "parceiro" de Maiakowski, na lindíssima "O Amor" (ressussita-me lutando contra as misérias do cotidiano, ressussita-me por isso...). Mais ou menos nessa época, Vitor Ramil, em seu álbum "A Paixão de V segundo ele próprio", recheia seu trabalho com várias referências ao poeta russo.
    Em resumo, o cara é gênio!

    ResponderExcluir
  2. Já tinha passado por aqui. Hoje reli. Sublinho as palavras de Caetano: "ressuscita-me lutando contra as misérias do cotidiano, ressuscita-me por isso...".

    Ninguém sabe o impacto que terá sobre alguém, até no futuro, naquilo que diz ou faz.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

biomembranas

morfologia e histologia do Rim