tem que tomar mais choque!!!!

Pelo jeito, o famoso choque que o senador Lasier Martins (PSD/RS) levou na Festa da Uva de Caxias do Sul deveria ser repetido várias vezes... Ele é, de fato, um dos principais nomes da RBS, afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul. Lasier, antes ligado ao jornalismo esportivo, era uma das "vozes do dono" da emissora, desde 1986. Ele chegou ao Senado em fevereiro de 2015, após conquistar o seu primeiro mandato eletivo com um rosário de mancadas que faria Stanislau Ponte Preta ter muito trabalho... Além de cometer aquela papagaiada de alegar ter assinado “por engano” a Proposta de Ementa à Constituição (PEC) do senador Romero Jucá (PMDB), aquela que blindaria os presidentes da Câmara e do Senado de investigações a respeito de fatos anteriores ao mandato, o fascistoide me fez mais uma, bem séria, e diz que não foi bem assim, o que era de se esperar.

Antes de entrar para a política, ele ficou conhecido nacionalmente após a divulgação de um vídeo na internet em que aparece tomando um choque ao encostar em uma parreira energizada durante transmissão ao vivo da Festa da Uva, em 2000. Eleito em 2014 pelo PDT, ele se filiou ao PSD no ano passado após seguidos desentendimentos com a direção nacional do partido. Apesar de pedetista, contrariando a orientação partidária, votou pelo impeachment de Dilma, posição que contrariou a cúpula partidária, em que pese não surpreendesse a galera daqui do sul, que já o conhecia de outros carnavais e festas da uva.

Lasier era casado com a jornalista Janice dos Santos Palao, em relação estável desde março de 2013. Ela trabalhava na sucursal de Passo Fundo da RBS TV e se demitiu do cargo em dezembro de 2103. Lasier teria "arrumado" desde o dia 1º de fevereiro de 2014, um cargo comissionado na presidência da Assembleia Legislativa do Estado, bagatela bruta de R$ R$ 12.051,84 mensais, ou seja, o terceiro nível mais alto de remuneração do legislativo gaúcho. Abençoada a posse pelo então presidente do órgão, deputado Gilmar Sossella,  Janice foi nomeada um dia depois da posse de Sossella na Assembleia para o cargo comissionado de diretora de Jornalismo da Assembleia. A contratação foi publicada numa edição extraordinária do Diário Oficial da Assembleia, junto a outras nomeações. Bacaninha é que dona Janice, na época, não exercia formalmente o cargo, numa manobra para preservar o então candidato pedetista ao Senado. Após um rosário de vejabens, Bertoncello anunciou que a servidora seria exonerada do cargo, como o foi, de fato.

O casal estaria em processo de separação, o que não justifica nenhuma baixaria, tampouco violar a Lei Maria da Penha. No depoimento prestado à Polícia Civil, por volta das 10h de terça, dia 28, a jornalista levou a empregada doméstica da residência, que presenciou a cena, para servir como testemunha. Com lesões aparentes pelo corpo, a jornalista prestou queixa na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), na 204 Sul, e realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Ela acusa o parlamentar de lesão corporal e injúria, e diz que esta não foi a primeira vez que sofreu agressões de Lasier. Após descobrir que o ilustre senador estava...digamos...pulando a cerca, ao ver mensagens que chegavam em seu celular, Janice disfarçou como assessora do seu marido e perguntou se a mulher era namorada do senador. A moça confirmou, e, naturalmente, dona Janice avisou que a moçoila estava falando com ninguém menos que a dona esposa, louca da vida. 

Naturalmente, o senador negou, assim como Maluf negou todas suas maracutaias e os nazistas negam o holocausto. Bate-boca, tabefes, vistos pela filha de 10 anos, mais brigas. Ao se defender com um porta-joias, dona Janice se cortou profundamente nas mãos. Cagado de medo, Lasier se assustou e se trancou no quarto, meio transtornado. Em seguida falou para sua esposa que iria ligar para a mulher das mensagens para mostrar que não tinha nada de traição.

O parlamentar ligou para a mulher das mensagens e deixou no viva-voz. Depois começou a bater com cinta em Janice... uma verdadeira humilhação, ser agredida e a outra pessoa na linha ouvindo os gritos dela. “Dizia que eu era burra, que não entendia nada de política, apenas de moda”, além de chamá-la de “chantagista e paranoica”, segundo relato dado na delegacia. Em outra briga, logo após ela ter passado por um processo cirúrgico na barriga, ele teria chutado a região recentemente operada.
Claro que Lasier negou as agressões e disse que mulher dele está apenas tentando criar manobras para tirar proveito de acordo judiciais.

Lasier Martins confirma que está em processo de separação e que ela quer “chantageá-lo” com “denúncias falsas”. “Ela partiu para cima de mim e eu apenas reagi para me defender, sem agredi-la. Ela mesmo se cortou e passou sangue em mim. Ela é louca. Está me chantageando por conta do divórcio".

Resta saber quem é louco: se o agressor sem vergonha, fascista de carteirinha, lambe-botas do Vampiro-Mor, ou quem elegeu esse pústula por conta da doente paranoia anti-PT, pois Olívio Dutra, até perto da eleição, estava na frente nas pesquisas. Dona Janice, coragem e serenidade! Por essas e outras, eu sempre ensinava minhas alunas de Anatomia os pontos sensíveis pra incapacitar agressores covardes. Como diria meu amigo Renzo Reggi, esse cara tem mais é "que tomar choque"...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

morfologia e histologia do Rim

biomembranas