esperança, ajuda e compaixão...e feita de aço!!!!

Essa foi genial!! Como bom nerd de carteirinha, curto os seriados da Warner sobre o universo de heróis da DC Comics. Um desses seriados, o da Supergirl, mostra como heroína a conhecida prima do Superman, vivida pela simpática atriz Melissa Benoist. Para ela, a atual situação de seu país, com Modok, digo, Donald Trump na presidência, faz com que a série ganhe um significado diferente. 

Bom, tanto a moça quanto seu primo são refugiados de um planeta explodido, Krypton, como todos sabemos. No seriado, a Supergirl atua junto a outros aliens, como o querido Jon Jonzz, o Caçador de Marte, conhecido no Brasil por muitos anos como Ajax, o Marciano (não o desinfetante de amoníaco, mas o herói grego, pra saber a origem do nome estranhamente traduzido) e Mon-El (sim, o Mon-el da futurista Legião dos Super Heróis, daxamita). Há episódios em que o grupo Cadmus, chefiado pela família Luthor, abre franco discurso xenófobo contra os alienígenas, e ações mais xenófobas ainda, algo similar ao que o presidente deles faz contra latino-americanos, muçulmanos e praticamente todo o planeta. Isso faz com que os roteiros da série sejam mais significativos e questionadores, da mesma forma que os X-Men, nos anos 60, o foram com a questão racial, desenvolvendo uma parábola sobre um tema sério e relevante, fazendo pensar e refletir. 

Em entrevista ao CBR, Melissa Benoist refletiu sobre sua participação na Marcha das Mulheres em Washington, DC, em janeiro deste ano e sobre o impacto disso nas espectadoras. No dia, a Moça de Aço levou uma placa onde era possível ler "Ei, Donald Trump, não tente segurar minha perereca - ela é de aço!". Melissa se referiu à gravação de 2005, onde Trump afirma que, por ser famoso, "você pode fazer qualquer coisa”, inclusive “agarrá-las pela perereca. Você pode fazer qualquer coisa”, usando uma palavra bem mais vulgar que o sinônimo anfíbio da genitália feminina ora empregado nesse blogue que é lido por crianças, poxa, para se referir às partes íntimas das meninas.

Melissa disse: "Definitivamente tornou-se mais significativo para mim, especialmente naquele dia. Eu sempre senti um senso de responsabilidade para as mulheres jovens e meninas em desempenhar esse papel e ser uma boa influência, representando força e coragem e o lema da Supergirl, que é 'esperança, ajuda e compaixão'. Estar naquela marcha definitivamente acendeu algo em mim, por assim dizer."

Isso aí!!! Se eu já curtia o seriado, agora sim que curto mais ainda!!! Grande Garota de Aço Melissa!!! Para o alto e avante!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

morfologia e histologia do Rim

biomembranas